29/04/2010

Os mais velhotes tambem dâo calinadas ..........

Olá a todos espero e desejo que estejam bem .
Fazendo um pequeno parentisis quero deixar uma palavrinha versus letrinha hehe para aqueles que tiveram a pachorra de comentar o meu post anterior hehehe.

" gatapininha" Olá Sandra prazer "vê-la"por estas bandas eu realmente tenho estado ausente e nem tenho feito nenhuma visita pelo seu espaço sorry.

Fátima ,eu sei que felizmente a grande maioria dos alunos não escreve daquela maneira mas infelizmente existem alguns, o texto não foi inventado é uma trancriçâo de uma prova do nono ano de uma escola secundária . beijocas.

Nela ,julgo ser a primeira vez que pisa esta casa espero que tenha gostado volte sempre que quiser é sempre bem-vinda.

Zélia,um bom dia também para si e quando quiser voltar a porta está sempre aberta hehe.

Helder ,á quanto tempo, tive pena de nâo termos bebido um cafezito aquando da tua ultima passagem pelo burgo espero que este ano seja possível um abraço e beijocas ás princesas.


Bom,fechando parentisis e iniciando este ultimo post do mês quero mais uma vez partilhar convosco um lado "talvez "pouco conhecido do povinho portugues gente mais madura mas que infelizmente tambem nâo trata muito bem a lingua portuguesa.

Carlos Barreira da Costa, médico Otorrinolaringologista da Invicta cidade do Porto, decidiu compilar no seu livro "A Medicina na Voz do Povo", com o inestimável contributo de muitos colegas de profissão, trinta anos de histórias, crenças e dizeres ouvidos durante o exercício da sua profissâo a medicina. E não resisti a extrair verdadeiras pérolas deste tão pouco conhecido léxico que decidi compartilhar convosco:

"Não sei se isto que tenho no ouvido é cera ou caruncho".
"Isto deu-me de ter metido a cabeça no frigorífico. Um mês depois fui ao Hospital e disseram-me que tinha bolhas de ar no ouvido".
"Ouço mal, vejo mal, tenho a mente descaída".
"Fui ao Ftalmologista, meteu-me uns parafusinhos nos olhos a ver se as lágrimas saíam".
"Tenho a língua cheia de Áfricas".
"Gostava que as papilas gustativas se manifestassem a meu favor".
"O dente arrecolhia pus e na altura em que arrecolhia às imidulas infeccionava-as".
"A garganta traqueia-me, dá-me aqueles estalinhos e depois fica melhor".
"Eu sou um fumador invertebrado".

O aparelho digestivo origina sempre muitas queixas:
"Fui operado ao panquecas".
"Tive três úlceras: uma macho, uma fêmea e uma de gastrina".
"Ando com o fígado elevado. Já o tive a 40, mas agora está mais baixo".
"Eu era muito encharcado a essa coisa da azia".
"Senhor Doutor a minha mulher tem umas almorródias que com a sua licença nem dá um peido".
"Tenho pedra na basílica".
"O meu marido está internado porque sangra pela via da frente e pinga pela via de trás".
"Fizeram-me um exame que era uma televisão a trabalhar e eu a comer papa".
"Fiz uma mamografia ao intestino".
"O meu filho foi operado ao pence (apêndice) mas não lhe puseram os trenos ( drenos), encheu o pipo e teve que pôr o soma (sonda)".

"Andei a tomar umas injecções de Esferovite" - Parenterovit
"Era um antibiótico perlim pim pim mas não me fez nada" - Piprilim


e para finalizar

"Ó Senhor Doutor, e eu posso tomar estes comprimidos com a menstruação?
Ao que o médico retorque: "Claro que pode. Mas se os tomar com água é capaz de não ser pior ideia. Pelo menos sabe melhor."


FIQUEM BEM E FAÇAM POR SER FELIZES

ABREIJOS
jorge

2 comentários:

Gatapininha disse...

lol
Estão demais!
Eu já ouvi algumas desse tipo e nem sou médica!

Eu sou mais como aqueles do "esferovite" lol quando alguém me pergunta o nome do medicamento que ando a tomar sou do tipo que diz...começa por p hum...acaba em im lol

jokas e obrigada por partilhares estas pérolas!

fatima.medeiros disse...

Estou cansada de tanto rir!
Algumas já tinha ouvido, mas outras... Que delícia!
Obrigada, beijinho
Fátima