30/01/2010

Rabanetes e afins....

Olá, Olá, Olá, amigos(as)
Como têm constatado tenho estado ausente aqui da casa ,o laboro e a cabecita não têm colaborado para aqui passar ,não fiqueis preocupados pois a única maleita neste momento é o meu peso que não para de aumentar não tarda nada deixo de andar e passo a rebolar hehe.
O titulo deste post está relacionada com o facto de um vizinho meu, viúvo, há pouco mais de um ano resolveu para ocupar o tempo livre de se dedicar às "agriculturas" mais precisamente às hortas hehe .
E assim aqui bem perto de minha casa no meio da capital se erguem múltiplas hortas que dão ocupação a muito reformado e que também ajuda no orçamento familiar.
Ele é muita couve muito nabo batata cenoura cebola e por ai fora .
Aqui fica algumas imagens da quinta do Sr. Agostinho...


O Sr. Agostinho é mais um daqueles portugueses com uma história de vida que daria um bom filme, nascido para os lados da Ericeira, no tempo em que uma sardinha tinha de ser dividida para matar a fome a todos os membros da família ,sapatito só ao Domingo pois nos outros dias tinha que se contentar com as solas que trouxe quando nasceu.






Logo que mal começou a andar o jardim de infância foram os campos agrícolas onde o pai trabalhava,sendo o mais novo era o que ia levar o almoço ao pai e irmãos. A escola foi de breve passagem pois na altura era mais importante que os filhos rapidamente contribuíssem para o sustento da família e por isso logo que soubessem ler e escrever umas linhas já era suficiente e toca a trabalhar.... ,tempos difíceis que espero não voltem para bem dos nossos filhos e netos.

Assim a escola do SR. Agostinho foi a escola da vida ,uma vida de muito trabalho com muito suor há mistura, passada cá, e também em terras francesas onde chegou clandestinamente saindo de Portugal não com uma mala de cartão mas com um saco onde levava o farnel e nada mais atravessando toda a Espanha a pé por montes e vales apanhando por vezes umas boleias . Uma viagem cheia de estórias que daria matéria para outro filme .
Uma vida de trabalho que não chegou para lhe garantir agora um rendimento para que possa viver com dignidade o que o levou a ter de voltar novamente à terra para dela poder retirar um complemento para o seu sustento .
E há por aí tantos Agostinhos infelizmente, que como ele têm de gerir pouco mais de quatrocentos euros ( uma fortuna não é).
Esta é seguramente a razão para que desde à alguns anos os terrenos abandonados e baldios estão todos transformados em hortas dentro de Lisboa e junto a vias rápidas não deixa de ser original ,bem á Portuguesa não acham?.


BOM CARÍSSIMOS (AS) FIQUEM BEM E FAÇAM POR SER FELIZES
BEIJOCAS CÁ DO JE HEHEHE

3 comentários:

Liliana disse...

Olá, olá,
Sei perfeitamente aquilo que sente. Eu também tirei férias do meu blog e estou uma lontra.

Sinto-me muito mal tão gorda, mas os médicos parecem não se importar muito. É a Vida!!!!

Tudo de bom!!!!
Beijinhos

Brancamar disse...

Olá Jorge,

Que bom qu deu um sinalzito de vida!
Não tarda nada isso volta tudo à normalidade, é só a adaptação.
Quanto o Sr. Agostinho, aqui pela Câmara do Porto também se têm cedido uns lotezitos de terreno para a agricultura, mas organizados pela mesma e em sítios capazes, algumas até exploradas por quadros superiores do estado, que gostam da agricultura, uma espécie de agricultores mais finos, eheheh! É a vida!
Bem faz o Sr. Agostinho...que aproveite...
Beijinhos para todos e para o Sr. Agostinho, claro.
Não repare, mas eu ando também muito preguiçosa para a net e com uma terrível falta de tempo.
Mas, volto breve.
Beijinhos

assuncaoh disse...

Ola,que bom te ver de volta,folgo muito em saber que tenho como amigo este amigo tao amigo do seu amigo e com um visao tao humana da realidade. Grande abraco