01/07/2009

É verdade!

Estou Cansado

Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...
E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente; eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.


Álvaro de Campos




Fiquem bem .

4 comentários:

Liliana disse...

Que lindo poema, Fernando Pessoa tens destas coisas, é divinal, assim como todos os seus pseudónimos.

Mas nada de cansaço, amigo Jorge!!
A sua energia faz-nos falta!!

Beijinhos

fatimamedeiros disse...

Que delícia!O Fernando Pessoa é assim!
Beijinhos

Dani disse...

Jorge,
Venho retribuir a visita. Adorei seu blog e o poema de Fernando Pessoa. Um gênio!
Saúde e sucesso,
Dani

Brancamar disse...

Obrigada Jorge pelo poema de Fernando Pessoa,que muito aprecio, a mensagem é linda e interessante, mas sobretudo obrigada a si e à Maria do Carmo pelo prazer que me deram, pelas horas felizes que me fizeram viver e por ser o reflexo da pessoa que sempre conheci, interessada e humana. Há amigos que face a face me surpreendem ainda para melhor, se isso é possível, o que me confirma que raramente me engano.
Obrigada por ser quem é e um obrigada à sua família pela simpatia imensa.
Um obrigada muito emocionado e desculpem qualquer coisinha,
Beijinhos para si, para a Maria do Carmo e para as filhas.
Branca
Branca